J.K. fala sobre novo livro no site de Robert Galbraith e anuncia sequência


Apesar de ser um pseudônimo de J.K. Rowling, Robert Galbraith tem conta no twitter e site oficial. No site, Jo respondeu algumas perguntas como os motivos que a levaram a escrever um romance policial, as pesquisas que fez para escrevê-lo e também explica a escolha do título The Cuckoo’s Calling.
“Eu esperava manter esse segredo por um tempo um pouco maior, pois ser Robert Galbraith tem sido uma experiência libertadora. Tem sido incrível publicar sem hype ou expectativa e pelo puro prazer de ter um retorno sob um nome diferente.  O bom de isso ter vindo à tona é que eu posso agradecer publicamente ao meu editor, David Shelley, que tem sido um verdadeiro “parceiro no crime”, todas as pessoas na Little, Brown que estiveram trabalhando duro em The Cukoo’s Calling sem saber que eu o havia escrito, e os escritores e críticos, ambos nos jornais e online, que têm sido tão generoso com o romance. E para aqueles que perguntaram sobre uma sequência, Robert realmente tem a intenção de continuar escrevendo a série, embora ele provavelmente continue a recusar aparições em público”.
Leia a tradução de todas as perguntas e respostas e a sinopse oficial do livro na íntegra.

MAIS! Foi revelado que após o anúncio de que a autora de Harry Potter era de fato a autora de “The Cuckoo’s Calling”, a editora estadunidense Mulholland Books anunciou uma segunda edição do livro com mais de 300 mil cópias para suprir a demanda, uma vez que as vendas do livro subiram 507.000% apenas 24h após a revelação – o livro vendera apenas 1500 cópias de Abril até o anúncio de Jo – alcançando o primeiro lugar na lista dos mais vendidos da Amazon.
 
THE CUCKOO’S CALLING
Sinopse do livro
22 de Julho de 2013

Quando uma perturbada modelo despenca para a morte de uma varanda coberta de neve, fica assumido que ela cometera suicídio. Entretanto, seu irmão tem suas dúvidas e telefona um detetive particular, Cormoran Strike, para investigar o caso.

Strike é um veterano de guerra – ferido física e psicologicamente – e sua vida está uma bagunça. O caso lhe fornece uma salvação financeira, porém com um custo pessoal: quanto mais ele se aprofunda no complexo mundo da jovem modelo, mais sombrias as coisas vão se tornando – e mais perto ele fica do terrível perigo…

Um elegante e dominante mistério mergulhado na atmosfera de Londres – desde as silenciosas ruas de Mayfair aos bares clandestinos de East End até a agitação de Soho – “The Cuckoo’s Calling” é um livro extraordinário. Apresentando Cormoran Strike, este é o aclamado primeiro romance criminal de J.K. Rowling, escrevendo sob o pseudônimo de Robert Galbraith.

ROBERT GALBRAITH
Perguntas frequentes 
22 de Julho de 2013

Por que você decidiu escrever um romance policial usando um pseudônimo?
Sempre adorei ler histórias de detetive. A maioria das histórias de Harry Potter são enigmas em sua essência (‘A Ordem da Fênix’ é mais um por-que-ele-fez-isso), mas eu estava querendo tentar a coisa de verdade há muito tempo.

Quanto ao pseudônimo, eu ansiava por voltar ao início de uma carreira de escritora nesse gênero, por trabalhar sem a propaganda exagerada ou a expectativa e também ansiava por receber opiniões totalmente cruas. Foi uma experiência fantástica e eu queria que ela tivesse durado mais tempo.
Por que você decidiu escrevê-lo como se fosse um homem? Isso influenciou sua escrita de algum modo? 
Eu realmente queria afastar a minha persona de escritora o máximo possível, então um pseudônimo masculino pareceu uma boa ideia. Porém, tenho orgulho de dizer que, quando eu me ‘desmascarei’ para meu editor David Shelley – que tinha lido e adorado ‘The Cuckoo’s Calling’ sem perceber que eu o tinha escrito –, uma das primeiras coisas que ele disse foi ‘Eu nunca teria imaginado que uma mulher escreveu isso’. Parece que eu consegui canalizar meu homem interior com sucesso!

Por que o nome Robert Galbraith? Você tem algo a dizer a todos os Robert Galbraiths que estão por aí? 
Só posso esperar que todos os Robert Galbraiths reais por aí sejam tolerantes que nem os Harry Potters reais foram. Devo dizer que não acho que a situação deles é tão desconfortável assim.

Escolhi Robert porque esse é um dos meus nomes masculinos favoritos, porque Robert F Kennedy é meu herói e porque, felizmente, eu não o usei em nenhum personagem da série Harry Potter nem em ‘Morte Súbita’.

Escolhi Galbraith por uma razão meio estranha. Quando eu era criança, eu queria ser chamada de ‘Ella Galbraith’, e não tenho ideia do porquê. Nem sei como eu sabia que o sobrenome existia, porque não me lembro de conhecer ninguém que se chamasse assim. Seja como for, esse nome me fascinava. Na verdade pensei em me chamar de L A Galbraith para a série Strike, mas por razões óbvias eu decidi que essas iniciais não eram uma boa ideia. Por mais estranho que pareça, havia um economista bem conhecido chamado J K Galbraith, algo de que só me lembrei tarde demais. Fiquei completamente paranóica ao pensar que algumas pessoas podiam entender isso como uma pista e chegar à minha identidade real, mas por sorte ninguém olhou profundamente para o nome do autor.

Por que você quis que o ‘’autor’’ tivesse um passado militar? 
Foi a razão mais fácil e mais plausível para Robert saber como o Ramo de Investigações Especiais funciona e investiga. Outra razão para fazê-lo como um homem militar trabalhando na indústria de segurança civil foi dar a ele uma boa desculpa para não aparecer em público ou tirar uma fotografia.

O que você pesquisou para escrever ‘The Cuckoo’s Calling’? 
Eu entrevistei militares e ex-militares enquanto pude. Na verdade, toda a minha informação factual veio de fontes militares. Conheço alguns soldados (tanto novatos quanto veteranos) e sou próxima a duas pessoas em particular que foram muito generosas enquanto eu pesquisava o passado do meu herói (elas também me ajudaram a construir um CV para Robert). Um desses amigos é do SIB (Ramo de Investigações Especiais), então, apesar de Strike ser totalmente fictício, sua carreira e experiências são baseadas em histórias reais de soldados.

Quando o romance começa, Strike está em maus lençóis. Uma das resenhas que eu mais gostei (antes de Robert ser desmascarado) disse que meu herói enfrentou sua situação ‘de modo compreensível, em vez de um modo clichê auto-destrutivo.’ Dei a Stark muitas qualidades dos militares a quem sou mais próxima: força de caráter, humor negro, resistência e ingenuidade.

Pesquisei muito sobre amputações abaixo do joelho e também visitei muitos pubs londrinos. A pesquisa envolvida na criação de um romance contemporâneo foi muito prazerosa.

Por que o romance se passa em Londres? Por que não em Edimburgo? 
Amo Edimburgo e acho que a cidade é um cenário excelente e tentador para ficção policial, mas achei que já havia detetives literários atraentes suficientes em suas ruas.

Meus pais eram londrinos e passei lá um bom tempo da minha infância e adolescência, visitando parentes. Morei em Londres quando tinha vinte e poucos anos e ainda amo aquele lugar. Você pode escrever sobre Londres durante sua vida inteira sem exaurir as tramas, opções ou histórias.

Por que o título ‘The Cuckoo’s Calling’? (‘O Chamado do Cuco’, em tradução livre) 
 O título foi tirado do poema de luto de Christina Rossetti chamado ‘O Canto Fúnebre’, que é um lamento por uma pessoa que morreu muito jovem. O título também contém uma referência sutil a um aspecto da trama, mas como não posso explicá-lo sem arruinar a história, vou deixar os leitores adivinharem.

Você pode nos contar um pouco sobre Strike e por que você decidiu fazê-lo como ele é? E sobre a relação dele com Robin, que é intrigante? 
Apesar de ser um policial ex-militar, meu herói é o filho ilegítimo de um homem muito famoso que ele só viu duas vezes. Strike me deu um modo objetivo e despersonalizado de falar sobre as estranhezas que vêm com a fama. Enquanto estava no exército, Strike tinha o anonimato que ele queria; agora que ele saiu, ele encontra pessoas que fazem muitas suposições baseadas apenas em sua ascendência. O sobrenome do personagem veio de um homem real (mas falecido) mencionado em um pequeno livro sobre Cornwall. Seu nome cristão, que foi um presente de sua mãe descuidada, é incomum e uma irritação recorrente para ele, já que as pessoas geralmente o erram; percebemos que ele preferiria se chamar Bob. Strike é um homem brilhante, porém machucado, que ainda está agarrado a um ou dois princípios que considera sagrados. Ele está tentando ter uma vida enquanto precisa lidar com sofrimentos físicos que seriam insuportáveis para a maioria das pessoas, e mantendo uma disciplina que muitos dispensariam nessa situação.

A assistente de Strike no caso, Robin, é uma secretária temporária que chega devido a um descuido (ele tinha a impressão de que havia cancelado o contrato com a agência de temporários, pois estaria sem dinheiro para pagar). Robin escondeu a ambição de sua vida de ser detetive de todos, até mesmo de seu noivo. Ela está ansiosa ao ser ver trabalhando com um detetive particular, mas a relação deles não é promissora no começo.

Eu amo tanto Robin quanto amo Strike, o que significa alguma coisa. Ela cresceu através de minhas próprias experiências como temporária em Londres, há anos, onde eu sempre podia pagar aluguel entre vários trabalhos porque eu conseguia digitar 100 palavras por minuto já que eu escrevia ficção no meu tempo livre.
Robin acha Strike um pouco feio e insensível no início, entre o mau-humor e ‘cabelo de bar’ dele, mas logo começa a admirar sua ética e inteligência. Enquanto Strike, ciente de sua suscetibilidade como um homem isolado e solteiro, está determinado a não ser muito bonzinho nem tolerante com essa garota prestativa e, sem dúvida, sensual. A relação resultante, com toda a estranheza e uma amizade lenta, foi muito divertida de escrever.

Em que lugar do mundo o livro foi publicado? 
‘The Cuckoo’s Calling’ está disponível no mundo inteiro em língua inglesa, e logo estará em outros idiomas.

Você já autografou exemplares como Robert Galbraith? Como sabemos se são genuínos? 
Sim, meu editor pediu que eu assinasse algumas cópias de ‘The Cuckoo’s Calling’ como Robert Galbraith que foram disponibilizadas para venda quando publiquei. Enquanto não podemos verificar se qualquer livro em sites como eBay é genuíno, todos os livros que eu assinar desse jeito serão autenticados a partir de agora. Minha assinatura Robert Galbraith é característica e consistente; passei um final de semana inteiro praticando-a para ter certeza.

O fato de revelar a identidade verdadeira de Robert Galbraith não foi apenas uma campanha elaborada de marketing para aumentar as vendas? 
Se alguém tivesse visto os planos confusos que fiz para esconder minha identidade (ou mesmo minha expressão quando eu percebi que a casa tinha caído!) perceberiam o quanto eu não queria ser descoberta. Quis manter o segredo pelo maior tempo possível. Estou grata por todas as respostas dos editores e leitores, e por algumas resenhas ótimas. Ser Robert Galbraith foi totalmente sobre o trabalho, que é minha parte favorita em ser escritora. Não foi uma manobra de marketing por minha parte, pela de meu editor ou agente, que apoiaram totalmente meu desejo de não chamar atenção. Se as vendas fossem o mais importante para mim, eu teria escrito o livro em meu próprio nome desde o começo e com a maior ostentação.

No momento em que fui ‘descoberta’, Robert tinha vendido 8500 exemplares de língua inglesa em todos os formatos (capa dura, eBook, biblioteca e audiobook) e recebido duas ofertas de produtoras de televisão. A situação estava ficando complicada, principalmente porque Robert estava indo melhor do que esperávamos, mas ainda queríamos manter o segredo. Ainda assim, o sucesso de Robert durante seus três meses como autor publicado (sem contar as vendas feitas depois que fui descoberta) pode ser comparado de modo favorável com o sucesso de J.K. Rowling durante o período equivalente de sua carreira!

Você vai continuar a escrever como Robert Galbraith? Haverá mais livros com Cormoran Strike? Sim, pretendo continuar escrevendo a série como Robert. Acabei de terminar a sequência e esperamos publicá-la no ano que vem.

Comentários: (0) »

Postar um comentário

 

FILME DA SEMANA

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Oito anos se passaram após os acontecimentos de The Dark Knight. Batman não é visto desde que assumiu a culpa pelos crimes do Promotor Público Harvey Dent, seu alterego Bruce Wayne se tornou um recluso, e as Empresas Wayne começam sua derrocada após investir em um projeto de energia por fusão da executiva Miranda Tate - que acabou cancelado após Bruce descobrir o potencial bélico do reator. Por outro lado, com a nova Lei Dent, o Comissário Jim Gordon e a polícia de Gotham City acabaram com o crime organizado ao permitir que seus chefes fossem presos sem julgamento.

Leia mais.

O BLOG

O Pottermaníaco é produzido por fãs da série Harry Potter, a qual reservam-se todos os direitos à Warner Bros., Editora Rocco e J.K. Rowling. Com o objetivo de informar os fãs brasileiros, atualizamos o blog diariamente com notícias sobre as gravações dos novos filmes, divulgação de fotos e detalhes sobre a vida da autora (Rowling) e do elenco principal. Notícias retiradas do Oclumência, ScarPotter e Potterish. Blog sem fins comerciais. Desde 2009.


Saiba mais.

LIVRO DA SEMANA

A Dança dos Dragões

A Dance with Dragons seria, originalmente, o quarto romance da série, destinado a cobrir um longo período de tempo na história. No entanto, durante o processo de escrita, Martin percebeu que, para preencher esta lacuna, a obra estava tendo uma dependência excessiva de flashbacks; depois de algum tempo de trabalho, o autor decidiu abandonar o que já havia sido escrito e começar de novo, desta vez iniciando imediatamente após o final do terceiro livro, A Storm of Swords. A obra foi renomeada, passando a se chamar A Feast for CrowsA Dance with Dragons passou a ser, então, o quinto romance da saga.

Leia mais.